Botox

Para que serve o Botox?

A toxina botulínica é bastante famosa pela sua eficácia no tratamento de redução das rugas e linhas de expressão na face. Mas, além dos benefícios estéticos, também é considerada parte importante de alguns tratamentos funcionais, principalmente relacionados à saúde bucal.

A aplicação do botox é feita através de injeção na pele e tem como função bloquear a liberação de neurotransmissores do sistema nervoso responsáveis pela contração muscular. Quando essa substância não envia o comando de contração, os músculos ficam relaxados, deixando a pele lisa e a aparência mais jovem.

Finalidade Estética

As contrações repetitivas ao sorrir, chorar, falar e mastigar causam as rugas dinâmicas, que, em casos mais severos podem se tornar rugas estáticas, percebidas até mesmo em repouso.

O Botox atua, então, na supressão desses movimentos, evitando que as marcas se formem. No caso das rugas já existentes, a toxina relaxa o músculo, ajudando a suavizá-las.

Principais indicações
• Testa
• “Pés de galinha” (em torno dos olhos)
• Glabela (entre as sobrancelhas)

Finalidade Funcional

Além dos benefícios estéticos, o Botox pode ser utilizado com finalidade funcional:

Em procedimentos odontológicos, auxilia no tratamento do bruxismo, sorriso gengival e disfunções da ATM.

Para outras especializações, o Botox promove melhorias nos tratamentos de hiperidrose, enxaqueca, salivação excessiva e estrabismo.

Botox para a saúde Bucal

Então, quem está se perguntando “Para que serve o Botox, além de suavizar as marcas de expressão?”, vai se surpreender com o que ele pode fazer pela saúde bucal.

Bruxismo
O apertamento ou ranger de dentes é reflexo da contração muscular e o botox pode aliviar essa tensão. Com o objetivo de relaxar o músculo temporal ou frontal, a aplicação do botox minimiza as consequências causadas pelo bruxismo, como dores de cabeça, no pescoço e na mandíbula, estalos ao abrir a boca e alterações no sono.

Cirurgia ortognática
A cirurgia ortognática é realizada para o reposicionar o maxilar, queixo e gengiva, restabelecendo a mordida e melhorando a aparência da face. Após a cirurgia, o botox tem o papel de reprogramador muscular.
Apesar de seguro, trata-se da aplicação de uma neurotoxina sob a pele, por isso é importante consultar um profissional capacitado para este procedimento e verificar as contraindicações para aplicação do botox.

Sorriso gengival
O sorriso gengival é um dos problemas que trazem mais insatisfação com a aparência entre os adultos. Isso ocorre porque tendemos a considerar belo o que tem maior simetria, por isso, para que um sorriso seja considerado bonito, a proporção entre lábios, dentes e gengiva deve ser harmônica.

Como o botox pode ajudar quem tem sorriso gengival
No local onde o botox é aplicado, o músculo não recebe o comando de contração e mantém-se relaxado, por isso é muito popular pelos seus efeitos na suavização de rugas e marcas de expressão. Com a utilização do botox no intuito de reduzir o sorriso gengival, o músculo do elevado superior da boca fica distendido e reduz o espaço de gengiva que fica aparente ao sorrir.
O botox corrige o sorriso gengival de maneira simples, rápida e efetiva, sem necessidade de intervenção cirúrgica, anestesia ou pós-operatório.
Após as aplicações, os resultados podem ser percebidos nos primeiros dias, mas o efeito completo da sessão será obtido em torno de 15 dias.
Como a maioria dos tratamentos estéticos, a técnica demanda manutenção, pois, com o tempo, a função neuromuscular retorna. A cada 6 meses, em média, é recomendada uma nova aplicação.
Em casos mais severos, em que o sorriso gengival é causado pela má posição dos dentes ou da gengiva, o profissional capacitado poderá indicar cirurgia. Antes disso, no entanto, algumas pessoas optam pelo botox, como experiência, antes de submeterem-se a um processo mais invasivo ou permanente.

Restrições de uso

O uso do botox para qualquer finalidade é extremamente seguro, desde que seja feito por um profissional capacitado.

Sua aplicação na redução do sorriso gengival é muito eficaz e abrangente, mas, embora seja um procedimento reversível, possui algumas restrições:
• Não pode ser utilizado em crianças e adolescentes;
• A aplicação em idosos deve ser cautelosa pois, geralmente, já possuem o lábio superior mais alongado;
• Músicos e demais profissionais que utilizem instrumentos de sopro (saxofone, flauta, apito etc), não podem ter a função do lábio superior enfraquecida.

Além de reduzir o sorriso gengival, o botox pode ser muito conveniente nos tratamentos de bruxismo e contra dores faciais.

Botox como aliado no tratamento das disfunções da ATM

A aplicação terapêutica do Botox para dor na região da ATM é um importante avanço no tratamento das disfunções do sistema mastigatório.

ATM é a sigla para articulação temporomandibular, um ligamento que une o osso da mandíbula ao osso temporal, responsável pela execução de movimentos como mastigar, falar e bocejar.

O desgaste dessa articulação traz inúmeros prejuízos para a saúde e é o causador de disfunções no sistema mastigatório (dentes, ossos, músculos, nervos e articulações), caracterizadas por dor e movimento limitado na área da mandíbula. Essas desordens são conhecidas como DTM: disfunção temporomandibular.

Não há causa única: pode ser desencadeada por um evento local (colocação de próteses ou restaurações inadequadas), por evento sistêmico (estresse, depressão, consumo de medicamentos ou drogas), e demais situações que acarretam na tensão muscular e a contração excessiva dos dentes. Tais ocorrências implicam em bruxismo, desgaste da arcada, estalos, perdas ósseas e fratura de raiz.

Tratamento com botox para dor causada pela DTM

O Botox, nome comercial da toxina botulínica, diminui ou paralisa a atividade de contração do músculo, sendo considerado parte significativa no tratamento da disfunção temporomandibular.

O objetivo principal do tratamento consiste em eliminar a causa das disfunções, através de procedimentos odontológicos, acompanhamento psicológico e de outros especialistas.

A aplicação da toxina botulínica, no entanto, entra como aliada na extinção do principal sintoma das disfunções da ATM: a dor.

Normalmente, a dor começa próximo ao ouvido e irradia para testa, têmporas e pescoço. É possível desenvolver dores crônicas decorrentes das desordens no sistema mastigatório, como dor de cabeça, dor de dente e zumbidos no ouvido. Alguns pacientes relatam, também, dores nos ombros e nas costas.

Regiões de aplicação do Botox para reduzir a dor:
• Mandibular (masseter)
• Frontal (testa)
• Temporal (têmporas)
• Parietal (atrás da cabeça)
• Occipital (pescoço)

As aplicações são feitas por meio de injeções na camada média da pele, denominada intradérmica, com o intuito de relaxar os músculos daquela região.

Obviamente, é necessário que a causa da doença seja tratada, para que os danos a longo prazo sejam evitados. No entanto, a dificuldade urgente de quem sofre com a DTM é o sintoma, resultando na perda de sua qualidade de vida. Por isso, o uso do Botox para dor é uma excelente medida paliativa no tratamento das disfunções da ATM.

Dentistas podem aplicar botox?

A Resolução 176, firmada no final de 2016, fez com que o Conselho Federal de Odontologia decidisse pela autorização da aplicação de toxina botulínica, para fins estéticos ou funcionais, por cirurgiões-dentistas, pois entende que estes profissionais estão capacitados para realizar tratamento em várias regiões da face, portanto, o Botox corresponde a esse escopo.

Em muitos casos, o desalinhamento dos dentes ou outros problemas bucais comprometem a aparência do rosto todo, já que a rigidez ao realizar certos movimentos transforma a expressão facial.

Quem pode usar botox?

Há pouquíssimas contraindicações para o uso do botox, mas cada caso tem sua particularidade e deve ser avaliado por um profissional capacitado.

Precisamos lembrar sempre que o botox é uma neurotoxina e, portanto, a forma correta de aplicação faz toda a diferença quanto à eficácia.

Indicações para o Botox

As indicações para uso de botox são bem amplas e abrangem qualquer pessoa que tenha marcas profundas de expressão ou dificuldade limitante, causadas por contração ou espasmo de algum músculo.

Menores de idade podem se submeter ao tratamento desde que possuam autorização dos responsáveis legais e apresentem algum problema que justifique o tratamento.

Idosos também são elegíveis ao procedimento, já que não há idade máxima para a aplicação de botox. As rugas e sulcos de expressão são fortes indicações para o botox e seus efeitos ajudam a elevar a autoestima do paciente.

Contraindicações para o Botox

Conforme descrito anteriormente, são poucas as contraindicações para o botox, mas alguns detalhes devem ser observados.

A interação da fórmula do botox com medicamentos que tratam doenças específicas – como miastenia gravis, ELA ou Alzheimer – é desaconselhada.

Se houver alguma inflamação ou infecção na região onde será aplicado, o botox não é recomendado.

Gravidez e lactação também são consideradas contraindicações para o botox, por falta de estudos que comprovem a segurança.

Por via de regra, idade, doenças crônicas e cirurgias recentes não são contraindicações para o botox mas, de qualquer forma, é necessário que o cirurgião-dentista responsável realize as avaliações pertinentes para fazer o uso da substância.