Como a boca lida com a falta de dentes?

Entre as principais causas da perda de dentes, estão as cáries, as doenças periodontais e os traumas. Algumas pessoas, no entanto, acreditam que quando a ausência do dente não é visível, não há motivos para se preocupar. Entenda como a boca lida com a falta de dentes, resultando em diversos prejuízos estéticos e funcionais. [Continue lendo]

O termo científico usado para denominar a perda de um ou mais dentes é “edentulismo”. É um problema muito comum no Brasil e está especialmente relacionado à falta de higiene bucal.

 

O fato é que existem algumas ideias equivocadas acerca do tema, como “a ausência de apenas um dente não faz falta”, ou “se o dente perdido não for visível ao sorrir, não necessita de substituição”.

Estas são afirmativas muito perigosas. Existem estudos que comprovam, cientificamente, a origem de danos graves à saúde decorrentes da perda de um ou mais dentes.

 

Desalinhamento da arcada

Na falta de um ou mais dentes, o organismo realiza um movimento natural em toda a arcada para cobrir tal ausência, no intuito de restabelecer a função mastigatória. Esse movimento, entretanto, desalinha os demais dentes, agravando ainda mais o problema.

 

Em crianças

O processo de transição espontânea da dentição de leite para a permanente costuma ser bem rápido.

Porém, quando motivada por algum trauma ou problema de saúde, a perda precoce do dente de leite também provoca a movimentação irregular da arcada dentária.

 

Insuficiência mastigatória

Cada elemento dentário possui sua função no processo de mastigação, e complementa a ação do outro.

Quando não há dentes suficientes, portanto, a capacidade de mastigação fica muito reduzida.

 

 

Com a insuficiência mastigatória, os alimentos não são triturados adequadamente, sobrecarregando o funcionamento do estômago e do intestino.

Na tentativa de evitar esses problemas, alguns pacientes relatam ter suspendido o consumo de determinados alimentos, mas acabam adquirindo outros: o déficit nutricional e a anemia.

 

Reabsorção óssea

É um processo fisiológico que ocorre quando a pessoa fica sem o dente por muito tempo. 

Os ossos e tecidos da gengiva perdem espessura por falta de estímulo (foto abaixo), pois o organismo entende que aquela estrutura não é necessária e a absorve com o intuito de economizar energia.

 

 

Isso faz com que a sustentação dos demais dentes fique comprometida e, em caso de instalação de prótese dentária, não tenha espessura suficiente para osseointegração do pino, sendo necessário o enxerto ósseo.

Além disso, a reabsorção óssea afeta o formato do rosto e, consequentemente, a autoestima, o que pode levar a pessoa a excluir-se do convívio social e até desenvolver depressão.

 

Qual a solução para evitar os problemas decorrentes da falta de dentes?

É recomendado que após a perda dos dentes, a substituição seja feita o mais rápido possível.

Existem, atualmente, muitas opções de próteses dentárias – móveis ou fixas, parciais ou totais e implantes dentários. Elas devolvem a você o sorriso perfeito e contribuem para sua qualidade de vida.

 

Agende já sua avaliação na DenteBelo! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *